domingo, 13 de dezembro de 2009

TEMPO BOM PRA SER FELIZ

Agora, deitada na cama, ainda sem sono, o coração continua a pulsar freneticamente. Neste momento mais lento, mas foi, durante toda uma noite, tomado por batidas semelhantes à de uma pessoa que correu demais e repentinamente parou, alternadas com a sensação explosiva de um susto que nunca acaba. Não. Realmente, eu não queria que parasse. Não era ruim. Ao contrário: era uma sensação de prazeres diversos contidos num largo sorriso. Sendo mais sensata: em gargalhadas.

Existem momentos em que a linguagem verbal, com todas suas letras, números e símbolos, não consegue dar conta de exprimir tudo que se sente. Até porque o que sentimos não é algo que se consiga registrar. Basta fechar os olhos e se deixar levar. Essa alegria efêmera nos faz querer coisas que, no dia a dia, não seriam tão queridas. Somente a cumplicidade do olhar brilhante de quem está sentindo a mesma coisa pode entender. Centenas de coisas são ditas sem precisar que sol, dó, ré ou mi sejam postos ao vento. Não precisa declarar nada. Tudo que foi pensado, foi entendido e bem registrado.

Apenas o barulho dos pés da multidão, que pulava freneticamente ao som de alguma banda, comprovava que não estávamos sós, afinal, tínhamos mais de 10 mil pessoas ao redor. Esse universo era paralelo.

Em alguns momentos alguém aperta o botão do “FF” e o mundo alcança uma velocidade quase frenética, que nos faz ver o redor em “slow motion”. Nestas ocasiões, quando as coisas aceleram demais não dá simplesmente para descer na próxima estação ou pedir o ponto e fugir. “Pára que está rápido demais!”. Não é assim que a vida funciona. Temos que ir até o fim para ver no que vai dar, aproveitar cada canção, que provoca um resquício de sensação, olhar para o alto e perceber o quanto ele está estrelado, contar as estrela cadentes que chovem no céu, ouvir o barulho das árvores, deixar o calafrio bater e saber que ele vai passar. O pior: vou sentir saudade. Mas tem problema não. Assim é o verão da Bahia. O bom é que ele está apenas começando.

10 comentários:

Déia disse...

Uau menina!!

Parece uma poesia!!

Que seu coração agite muuuito e seu sorriso permaneça em seu rosto!! hehe..

bj

Desabafando disse...

Curioso mesmo como temos momentos em nossas vidas em que parece que tudo passa tão devagar e que não existe mundo além do nosso e outros que passam tão rápido que parece que se não tomarmos cuidado seremos atropeladas por eles. Adorei seu texto. E que vc aproveite muito o verão bahiano.

Cadinho RoCo disse...

E que o Senhor do Bonfim abençoe o verão da Bahia.
Cadinho RoCo

Alexsandra Moreira disse...

O verão na Bahia é lindo, pena que acaba com nosso bolso.rsrsrsrsr

Me conte, onde foi esse auê todo?

bj

Elisa no blog disse...

Que bonito texto. Poético.
Adoro a Bahia e o verão daí? Mas não é o ano inteiro verão?
Sensação de prazeres diversos. Como será isso? Achei que os prazeres vem um de cada vez. Vc é especial para conseguir captar diversos prazeres.
VC escreve muito bem.
beijos,
Elisa

Mercuriana disse...

Como é bom ler o que vc. escreve...consegue nos colocar como fazendo parte do texto...ler vc. é viajar na sua história...
Tem uma msg. de final deano e um selinho de Natal prá vc, no meu blog...
bjs

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Luciana, que lindo! Você conseguiu explicar o "inexplicável". Acompanhei o seu vôo de palavras e sentí as mesmas reações. Bater um papo com você deve ser uma "curtição". É começar e depois de uma semana terminar. Não dá vontade de parar de ouvir tudo o que sua cabecinha elabora. Adorei seu texto. Parabéns. Beijos criativos e sensíveis. Manoel.

Ronaldo disse...

adorei esse texto.

a saudade vai pintar porque viveu algo bom, só isso.

relaxe e curta

bjsssss

Déia disse...

Oie, vim te dar um oizinho!

bj

Emerson Souza disse...

Nossa,
Na próxima vida quero nascer baiano.
Bjus.