terça-feira, 8 de junho de 2010

DÁ UMA MÃOZINHA, SANTO?


“Você sobe aquela ladeira e vira à esquerda. Quando entrar na rua você desce a ladeira toda e pega uma rua subindo à direta. Quando vir um prédio azul, à esquerda, no meio da ladeira, você entra na rua ao lado dele. Minha casa fica no final dessa subida”.

Ouvir essa descrição de endereço é mais que comum numa cidade com mais de cem ladeiras como Salvador. Sobe-se a Ladeira da Montanha para descer pelo Elevador Lacerda. Você pode escolher morar na Cidade Alta ou na Cidade Baixa. Não importa. Vindo a Salvador, você terá de subir e descer várias ladeiras. É a ladeira da Barra, dos Galés, do Campo Santo, do Acupe, Ladeira da Colina Sagrada, do Boqueirão, dos Aflitos, da Castro Alves, da Misericódia, da Barroquinha, do Taboão... E por aí vai. Se pra baixo todo santo ajuda, para subir algumas vocês vão precisar de mais que um empurrãozinho.

Este final de semana, meu sobrinho reclamou com a mãe que é o único aluno da turma que usa transporte escolar. Ele quer ser independente como os outros que vão a pé. O comentário me fez lembrar do tempo em que sofria com esse terreno desnivelado da cidade. Para chegar na civilização, eu precisava subir – andando - uns 300m de ladeira. Como estudava à tarde, saía de casa depois do almoço de baixo de um sol escaldante. Barriga cheia, sol e ladeira. Ô como eu reclamava!!! Dava vontade de subir por etapas, parar no meio e acampar, mas se parasse um segundo para respirar meu pé cozinhava no chão.

Se para quem está a pé é uma tortura, para os que estão aprendendo a dirigir as ladeiras não boas aliadas. Meu trabalho fica no bairro mais alto da cidade. Se durante as chuvas não corro o risco de ficar alagada no alto, no início, eu tremia na base quando saía de casa para ir para a senzala. Só para vocês terem ideia, já perto da empresa preciso subir uma curva enladeirada e bem fechada à direita, no final pego outra ladeirinha à direita e me preparo psicologicamente para o terror dos aspirantes a motoristas. É uma ladeira muuuuuuito íngreme, que em qualquer hora do dia ou da noite está congestionada e, para melhorar, tem entrada e saída de veículos ao meio dela.

Ali, na minha primeira vez, deixei o carro morrer umas dez vezes. Pelo retrovisor dava para visualizar o estrago da minha inexperiência e pelo barulho das buzinas sentir o humor dos outros motoristas. Uma vez estava com o possante cheio de amigos acima do peso. Não bastasse ter deixado o carro morrer, ainda deixei descer um pouco. Quando vi o farol do ônibus crescendo no meu retrovisor puxei o freio de mão e tirei o pé da embreagem. É melhor o carro morrer e parar que ficar ligado, descendo e bater no de trás. O álibi de que quem bate no fundo está errado não se aplicaria a mim nesta situação. O fundo batendo era o meu.

Foi difícil, mas aprendi a segurar o carro equilibrando o pedal do acelerador e da embreagem. Aliás, se tem alguém de Brasília lendo esse blog me conte um segredo: Vocês precisam fazer meia embreagem? É sério... Cidade completamente plana, a capital do país me deu uma tranqüilidade nesse sentido. Tudo é nivelado. Não fossem os prédios seria possível desenhar a linha do horizonte.
Quem diz que baiano é preguiçoso é porque nunca subiu uma ladeira de Salvador à pé. Se quiser me rotular assim não me importarei, mas quero ver quem vai ser desses falaciosos que não vai parar no “pé da ladeira”, ao meio-dia, e olhar para cima como se ela fosse infinita. Só de pensar dá preguiça.

15 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Luciana, minha querida amiga. Sensacional essa sua narração. Parece que estamos junto de você e vivendo essa experiência. Juro que mudei o conceito de preguiça para com os baianos. Continuo com o conceito de hospitalidade.
Adoro ler seus textos. Sinto tudo o que você escreve.
Estava morrendo de saudades.
Um beijo tão íngreme quanto a ladeira de sua senzala, kkk!
Manoel.

Anitas disse...

tá louco, mas pelo menos vc sempre teve o corpitcho tudo em cima, vá! valeu a penaaaaaaaaaaaaa

besos

Desabafando disse...

Ah, mas eu teria sim preguiça de subir ladeira....rsrsrs...por isso nem falo nada.

Elisa no blog disse...

Vc mora numa cidade linda e maravilhosa, ainda reclama?rsrs
Conheço Salvador e sei como são as ladeiras. Mas vcs não usam o Elevador Lacerda e aquele outro que parece um bondinho?
Se eu fosse motorista novata e meu carro morresse 10 vezes na ladeira, juro que ia desistir de dirigir. Ou mudar de cidade.

Márcio Fabiano disse...

Luciana, mato as saudades dando risadas com seus textos. eita, que suei com essa ladeira. Um beijo no seu coração e na sola dos pés!!!

Karina_aka disse...

olá!

ADOREI seu blog... acho que precisamos mais disso!
Adorei o Texto da porra baiana...rsrs morri de rir!

Queria fazer um convite... passa no meu blog, dê uma fussada. Se gostar, deixe sua opinião!

Abraço... volteo sempre!

Aka

Ronaldo disse...

passei pra dizer que deu uma saudade de ti....

faz tempo que não nos falamos....

bjsss

Clau disse...

Prefiro ficar na net e resolver tudo por aqui mesmo...
kkkkkkkkkk

Meio de uma laderia ao meio dia...
Esquece...

Beijoca..


Voltei... Passa lá.

Jaime Guimarães disse...

Eu tive que lidar com a ladeira do Acupe quase todos os dias durante um período em que trabalhei na região, mas tem ladeiras bem piores por aqui...dizem os especialistas que a meia embreagem não é recomendada porque pode danificar o disco e blá-blá-blá, mas não tem jeito quando realmente se vive numa cidade cheia de ladeiras.

De qualquer forma é melhor do que encarar aquele "ladeirão" a pé...

abs

Rafaela disse...

Lú,
só quem sobe a ladeira sabe dor e a delícia da nossa cidade íngrime. Narrativa sensacional, senti cada rampa nas batatas,estive na Bahia no pensamento e saudade. Quem acha que corpo de baiana é sorte, nada disso, é ladeira...Bjs querida!!!Viva os declives da nossa cidade, viva os santos!!!E que texto...

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Luciana, minha amiga querida. Muitas saudades de sua postagens criativas e apimentadas.
Beijos no coração.
Manoel.

Anônimo disse...

Sentimos, todos nós, a ausência da Luciana neste blog tão gostoso de se ler.Reapareça Luciana ...

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Luciana, passei aquí prá mandar um abraço e uma beijoca com carinho e amizade. Muitas saudades!
Manoel.

Anônimo disse...

E Luciana desaparewceu mesmo do Blog. Que houve Luciana???Reapareça pois sua presença é muito importante.

Dri Viaro disse...

ooioioii


saudades de vc!!!

bjs