segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

OS GRANDES SÃO OS MELHORES

Primeiro domingo do ano, eu e as amigas passamos na beira de uma piscina admirando o céu azul e petiscando. O papo? O trivial feminino. Quando o sol caiu, olhamos ao redor e decidimos usufruir daquele momento com outros seres agradáveis para alegrar nosso fim de noite. E porque não? Algumas pessoas têm nojo, preconceito, mas a gente não. Quando chegássemos lá eles estariam prontos e depois do trabalhinho – sim, dá muito trabalho se divertir - iríamos embora saciadas e limpinhas. Seria perfeito. Uma delas resolveu ficar em casa em cozinhar para o namorado. Eu e mais duas não: na rua seria bem melhor.

O serviço dobrado só começava a partir das 18h, no cair da noite, mas eu queria começar naquele instante. Estava tensa e fiquei com vergonha, mas o que os outros tinham a ver com isso? Levantei o dedo. Era o pedido. Quando ele chegou pedi para mudar de lugar. Subiu uma quenturinha e eu precisava de mais espaço, de ar puro.

Ele tinha uma das maiores bocas que já vi na vida. Grande, carnuda e deliciosa, mas resolvi começar pelas pernas. Elas eram razoavelmente grossas e muuuuuito cabeludas. Não gosto de pêlos e isso me incomodou, pois na hora de passar a mão e dar uma lambidinha era um pouco nojento, mas o resultado compensava aquele sacrifício. No estabelecimento ao lado eles eram devidamente depilados. Da próxima vez irei lá.

Não sei se aquela cor avermelhada, e linda, era natural dele ou proporcionada por alguma anomalia. Suas costas eram robustas, delineadas, e dava gosto passar a mão ali. Em breve estaria me deliciando nela. Minhas amigas, é óbvio, mal piscavam os olhos, mas nem ousavam passar a mão em minha propriedade. Existem algumas coisas na vida pelas quais a gente mata e morre. Essa é uma delas, não tenham dúvida.

Depois de me saciar com as pernas, enfim, fui para a boca. A sede ao pote foi tão forte que machuquei meus lábios e língua. Era melhor ir devagar ou até o final da noite ele teria me deixado aos pedaços. Comecei a bater nele para ver se facilitava e percebi que não era uma questão de força, mas de jeito para conseguir manuseá-lo melhor. Resolvi alternar entre chupar a carne que trazia na boca e mordê-la, para não cansar, afinal, nunca vi uma boca tão boa de ser tocada.

18h. Enfim chegou a hora do serviço dobrado. Minhas amigas puderam colocar a mão na massa e eu poderia repetir a dose. Agora eles eram 6 para 3 de nós. Aí foi uma fartura só. Eram pernas, bocas, pêlos, porradas, chupadas, lambidas, olhos revirando e eu... Cansei. Acreditem. No terceiro eu enjoei e não agüentava nem olhar para aquelas costas que outrora tanto me atraíram.

Boa amiga que sou, fiquei lá fazendo companhia às meninas. No intervalo entre um e outro a gente até conversava, mas quando eles chegavam começava a terapia. Sim, quando precisar de um psicólogo pode procurar por eles. Com certeza as mulheres vão gostar e homens também vão lá. Tem para todos os gostos.

De repente, o telefone tocou e uma das meninas atendeu de boca cheia e mãos sujas. Como disse, é algo muito prazeroso de fazer, mas extremamente nojento de ver alguém com a boca na botija, com a mão na massa. Depois de mim, as duas pediram mais 3 serviços dobrados. No finzinho, confesso, até passei a mão na perna de um deles. Minha amiga é boazinha, eu que sou olho grande.

Na quarta-feira volto lá, tem outras opções dobradas para se deliciar. Dessa vez não me restringirei aos crustáceos, caranguejos sarados dourados na panela, mas vou usar e abusar de todos os frutos do mar

11 comentários:

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Ehhhh Luciana, você é um fenômeno. Como escreve bem! Eu já estava indo dormir e resolvi dar uma olhada no painel do Blogger. Aí ví um texto, "fresquinho", seu. Acabara de ser escrito. Comecei a ler e pensei: a Luciana ficou "maluca", mas... Fui lendo e, cada vez mais, me convencendo. Aí pensei: vai ver tomou um golinho a mais e se empolgou. Continuei! O texto está chegando ao fim e nada de saber do que se trata. Pensei outra vez: se essa "danadinha" não disser o que é essa coisa eu nem consigo dormir. Vou ter que pegar um avião para Salvador e arrancar da menina o grande segrêdo. Enfim, graças à Deus...crustáceos, kkkkk!
Luciana você é demais. Sei que posso elogiar que você sabe que não é "confete". É sincero mesmo. E tem mais, você não fica excessivamente envaidecida e nem "mascarada". Então lá vai: Você escreve prá caramba e o pior, é que você sabe disso e aproveita para dar uma "passeada" no texto. A turminha do pré-enfarte, se ler isso, enfarta no meio do texto. Adorei isso. Um beijo com carinho e com sabor de frutos do mar. Manoel.

PS: Adorei seu comentário lá no Óbvio a respeito de educação. Aprendí muito. Bjos.

Aninha Leme disse...

KKKKKKKKKKKKKKKK
que susto, mulher!!!!!!!!!!
vc mandou muito bem, mas confesso que no início fiquei chocada! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

eu não gosto nada de frutos do mar! Mas você contando assim me deu até vontade de tentar de novo!

besosss

Desabafando disse...

kkkkkkkkkkkk.......
muito boa a forma que escreveu....no começo eu fiquei pensando: do que será que ela está falando?

Ah....e sabe o que chegou aqui ontem a tarde???? rsrsrsrs....
o dicionário! Adoreiiiiiiiii...em breve vou mostrar no blog!

Muito obrigadaaaaaaa....de verdade!

Déia disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

# Rindo muuuiito #

vc me enganou direitinho, ja achei que tinha feito "uma festinha" rsrsrsrs

Bem, eu não sou chegada a coisinhas do mar... mas queria muito gostar, mas não gosto rsrsrsrs Só de surfista kkkkkk

bjkas

Desabafando disse...

Passa lá no meu blog...rsrsrs...

Desabafando disse...

Como assim vc não conhecia as expressões que eu tirei do livro? kkkkkkk....sim, a língua é mutante mesmo mas eu adorei o livro...achei várias outras expressões curiosas...mas preferi colocar só algumas pra não parecer que estou fazendo uma cópia ilegal do livro....kkkkkkkkk....

Adorei a desculpa que vc inventou pra eu comer os chocolates...rsrsrs...derreteu...rsrsrs...agora que eu vou abrir mesmo!

Obrigada de verdade viu...adorei o presente!

Déia disse...

Oiii, vim te deixar um bjinho.

Elisa no blog disse...

Querida Luciana,
No começo do texto juro que não pensei besteira. Vindo de vc que é uma pessoa inteligente, achei que era algo filosófico, uma reflexão do tipo: pessoas de coração ou alma grande. Mas vc escreve muito bem, na segunda lida, já pensei besteira. Mas frutos do mar? Nunca poderia imaginar! Eu adoro, comi muito nesse início de ano.
beijos,
Elisa

Ana disse...

hahaha se trocasse o crustáceo por um mamífero masculino dava um ótimo conto erótico!
Vc ta cada vez melhor, parabéns, adorei...
beijão e um ótimo ano pra vc

Ana Clara disse...

na metade do texto eu adivinheiii!!! mas confesso q eh pq vc me chamou esses dias pra comer tb... hehehehe
mais uma vez, muito bom texto!

=**

Driks disse...

Nossa,achei que estava falando de um homem forte e gostoso kkkkkkkkkkkkkk
Adorei!
bjaum