segunda-feira, 7 de setembro de 2009

INTOLERÂNCIA À BURRICE

Acredito que um grande mal que tem gerado muito conflito no mundo, hoje, é a intolerância religiosa. Essa semana tive uma briga muito feia com alguém que amo muito por causa disso. Não tenho religião, mas sou apaixonada por livros, filmes, palestras, cursos e qualquer coisa que possa me proporcionar conhecimento sobre todas as religiões. Consequentemente, tenho horror a quem descrimina qualquer prática religiosa. Cada um tem a sua e a amizade continua.

Mesmo não seguindo nenhuma prática, defendo todas elas. Não por acaso, uma pessoa especial começou a desfazer dos praticantes do candomblé em minha frente, o que me fez descer do salto, rodar a baiana e o resto vocês podem imaginar. Confusão total. O ser humano é evangélico e acredita que a religião afrobasileira é coisa do demo. Ela tem o direito de achar, cada um acha o que quer. Mas de onde vem essa autoridade para uma pessoa julgar sua crença superior a outra? Se cada um ganha autoridade à medida que pratica uma doutrina, então o mundo vai virar um inferno, pois todos vão tentar provar e impor sua prática aos outros. E quando alguém não aceitar? O pau come! Assim não dá!

É muito complicado falar sobre isso, mas temos um exemplo em casa. O que os europeus fizeram quando chegaram ao Brasil? Catequizaram os índios. E os negros? Foram proibidos de cultuar seus ancestrais. E se os árabes tivessem chegado antes ao Brasil? Seríamos todos muçulmanos e iríamos usar tanta roupa até desidratar nesse calor infernal.

O pior de tudo é que intolerância gera intolerância. Nunca pensei que pudesse discutir feio com alguém defendendo algo que nem me pertence. Mas no momento em que a discussão começou eu não queria impor nada, apenas que a pessoa percebesse que não poderia desfazer da religião alheia, já que aquilo magoaria alguém na mesma proproção em que ficaria magoado se alguém falasse o mesmo de sua crença. Mas o ar de superioridade do ser humano me tirou do sério. Fiquei com vergonha de minha atitude - calma, não bati em ninguém - mas ofendi bastante alguém que amo e jurei nunca discutir religião com ninguém, pricipalmente com as pessoas que não sabem relativizar. O que é bom para mim pode não ser para você e um texto nunca pode ser discutido fora do seu contexto.

Abaixo segue o fruto de algumas pesquisas, que resultaram em matérias para o programa que produzo e edito matérias.

Esse vídeo é sobre o Bembé de Santo Amaro, uma festa dos praticantes do candomblé para os orixás. Ela sempre acontece no dia 13 de maio como forma de agaredecer pela libertação dos escravos.



É um festejo muito bonito, só acho uma pena que o que era tradição religiosa está virando, cada vez mais, uma festa profana e o cunho religioso está ficando muito restrito ao espaço do terreiro.

O vídeo abaixo fiz para mostrar como é o casamento na umbanda, que, diga-se de passagem, é considerada a primeira religião verdadeiramente brasileira. Existem os que discordam, mas eu acredito que seja.



O vídeo abaixo não é bem religioso, mas mostra como a cultura indiana - incluindo a prática religiosa - se reproduz aqui na cidade.



O pessoal do programa já sabe que curto o tema religioso e sempre que temos cobertura de algo relacionado sou eu a escalada para fazer. Já mostramos a festa de Santa Bárbara (Iansã), de Nossa Senhora dos Navegantes (Iemanjá), de São Roque(Omolu), a famosa do Senhor do Bonfim (Oxalá). Enfim... É uma pena que nem todas estão no youtube e que também não possa fazer matéria sobre tudo. Fiz um documentário mostrando como vivem muçulmanos convertidos aqui em Salvador. Um dia mostro para vocês.

10 comentários:

Diego Borges disse...

Bem , essa questão de religião é bem complicada. Também sou evangélico e tenho minhas convicções sobre a minha e as demais. Tenho um amigo bruxo que eu gosto muito, não concordo com a religião dele mas nem por isso também desfaço. O sincretismo religioso é que diz que algumas doutrinas são cristãs , mas que na verdade não são e é preciso ver isso também. A doutrina crista é baseada na bíblia, no entanto se vc for afundo em ver quais doutrinas pelo menos seguem 50% do que ela diz, vc vai entender muito mais do que vc ja demonstrou saber. Não gosto de hipocrisia, se estou na minha atual é por que não vi nas outras o que vi nessa, mas nem por isso me acho melhor pois o mesmo Jesus que morreu por mim , morreu por todos os outros, se ele não virou as costas pra muitos que nem acreditar nele acreditam , por que eu farei o contrario se ele mesmo disse que o objetivo do discípulo é ser igual ao seu mestre ? Creio ser o respeito uma forma de demonstrar amor pelo meu próximo e procuro faze-lo sempre que possível mas deixando bem claro o que penso da maneira correta uma vez que também quero ser respeitado.
Muitos evangélicos pensam assim como eu mas a boa parte não sabe por em pratica e ai ocorre o que aconteceu com seu amigo. Espero que Deus nos abençoe pra que essas coisas não aconteçam.
Um abraçao pra vc ! :)

Aninha Leme disse...

Oieeeee
adorei o post, viu? muito interessante.
Eu tenho religião e sou muito feliz nela.
porém, se existe algo que me ensinaram é não discutir religião, futebol e política.
Não existe um senso comum para esses assuntos.

então, eu gosto de sempre tentar colocar em prática o seguinte:
"interprete como quiser, mas não julgue como entender"

o julgamento é o que mata o ser humano, né messs?

beijos

Desabafando disse...

Olá amiga..adorei o debate...bom, eu tenho religião, sou espírita, mas não saiu por aí tentando converter os outros....acha que o que importa é vc se encontrar em alguma que te faça feliz e que te leve a Deus...tendo boas atitudes tb! E tenho amigas que são católicas, que são umbandistas e nem por isso brigamos ou discutimos....aliás, uma das minhas melhores amigas é católicas e ela me respeita mesmo eu acreditando em coisas diferentes...o que importa no fim é essa religação com Deus.

Ronaldo disse...

Coisa séria isso ai, sabe todas religiões erram e acertam, mas tem muita gente que impõe as coisas, isso é errado, somos livres para decidir o que queremos, no que acreditamos, no que queremos crer.

não gosto de falar disso pois fico nervoso, é muita burrice das pessoas que na verdade são fanaticas reliosas.

bjssss

Elisa no blog disse...

Achei seu post interessante. Temos sorte de termos nascido num país em que há tolerância religiosa. Cada um professa a sua e ficamos todos felizes. É muito duro nascer em algum país onde vc é obrigado a usar véu, não pode comer isso ou aquilo por causa da religião. Eu nasci católica, mas me interesso por todas as religiões. Intelectualmente acho o budismo interessante por ser muito racional.
bj,
Elisa

Diego Borges disse...

Oi, passei aqui pra te avisar que tem selo pra vc lá no Desventuras. Fique a vontade pra passar la pra pegar quando puder. um abraço !!!!

Tiago disse...

Ih, Rapá!!

Futebol, política e religião...geralmente dá merda!!

E o que é mais engraçado é que todas, no fundo, são tão parecidas...respeito qualquer uma, mas vou parar por aqui...rs

Beijão, Lú! Boa semana!

Elisa no blog disse...

OI,
Estou com saudades de vc.
Aconteceu alguma coisa? Não escreves mais?
Espero que esteja tudo bem.

Em Kuala Lumpur fiquei na casa de uma amiga que é de Salvador. Ela mora lá.
bj

Desabafando disse...

tem selinho pra vc no meu blog...passa lá!

Anônimo disse...

Fui batizado na católica e ainda estou nela, mas não praticando como antes, As religiões cristãs são baseadas na Biblia, com várias interpretações. Sei que o objetivo de todas é CRISTO. Portanto respeito e considero todas. Só depende da fé e sinceridade de quem as pratica.O principal mesmo é fazer o bem sem olhar a quem.