quinta-feira, 18 de junho de 2009

ORGASMO DIURÉTICO


Hoje passei por um dos momentos mais apertados de minha vida. Quando digo apertado é porque foi quase a vácuo. Deixo uma garrafinha com água em cima da minha mesa de trabalho, daí já viu, né? Vou ao banheiro umas 2674 vezes ao dia. Quando vem a vontade tenho que largar tudo e sair correndo, caso contrário minha mente entra em parafuso, pois o anseio é tanto, mas tanto, que não consigo prestar atenção em mais nada.

Na hora do lanche, tomei refrigerante e voltei à senzala. Depois de quebrar algumas pedras [estou indignada com Gilmar Mendes, onde já se viu extinguir diploma de jornalista? Vou mostrar a ele onde vou enfiar o meu] desliguei o computador para enfrentar o trânsito e ir embora.

Quando liguei o carro, o pipi lembrou que queria passear. “Dá pra segurar”. Tomei uma das piores decisões de minha vida. São 20 km da TV até minha casa, mas pareceram uns 100 km. No início, a vontade é até gostosinha, aquela sensação que todos conhecemos... Mas o trânsito não colaborou.

Em média, passo por uns 20 semáforos. Hoje, todos fechados. Chegou um momento em que a vontade gostosa começou a virar sofrimento. Eu sentia cada carocinho do asfalto furando minha bexiga. Parecia que os pneus estavam arrastando direto lá... “Vou agüentar”, decidi com firmeza e aumentei o vozeirão de Amy Winehouse para distrair. Enquanto ela cantava “Ai ai ai, ai ai ai, abraçando o grande homem macaco”, eu fui cantando só a parte dos gemidos e o ai ai ai foi virando ui, oi, ai, hummm, ai ai, oi ui, ui ai...

Pense no gemido quando eu passava em um buraco!!! Nunca tinha percebido a força da Lei de Murphy. Ela é peso pesado. TODOS os carros passavam na minha frente, me ultrapassavam, não me deixavam seguir e a dor foi ficando tão forte que, quando dei por mim, estava me envergando, como uma interrogação.

Finalmente avistei a avenida que dá acesso à minha casa. São, exatamente, 9 quebra-molas até meu vaso sanitário. Só que, nessa altura do campeonato, eu já estava quase deitada em cima do joelho. Os carros na minha frente iam passando d – e – v – a – g – a – r – z – i – n –h – o por cada lombada. As lágrimas começaram a cair e um líquido foi chamando o outro e eu tentando conter a torneirinha de baixo. “Ô Jesus, Maomé, Abraão, Buda, Krishna, me ajuda, oi, oi, oi, oi...”.

Última lombada. Não agüentei chegar no meu prédio. Parei na casa de minha mãe, 200 m antes da minha, e entrei igual um foguete. Gente!!! Aquilo não foi uma mijada. Juro. Foi uma multigozada [xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx, ouviu?]. Minha filhinha perguntou: “Ta sentindo o quê, mainha?”. Não dava para explicar a sensação de um orgasmo de uréia a uma criança. De olhos virando, esperei a última gotinha sair para explicar ao baby que mamãe tava “se mijando”.

Passei uns 10 minutos sentada no sofá até a sensação ofegante melhorar. Nunca mais espero um minuto para ir ao banheiro. Quando for dirigir, então, vou forçar todos os algarismos cardinais, ordinais, romanos, etc. saírem de um corpo que não lhe pertencem mais. Salvei meu estofado, mas aprendi que se alguma coisa pode dar errado, com certeza dará.

11 comentários:

Tiago disse...

Rsrsrsrsrsrsrsrrsrs

Não tinha um "lugarzinho" com banheiro no meio do caminho??

Eu parava o carro no meio da rua, ligava o pisca-alerta, corria pra um boteco e pimba!!!rsrs

Ah...Mentirinha!!rsrs Não falei nada com a Eneida!!rsrsrs Só quis retribuir a "graça"!!rsrsrs

Beijos!!

Fábio disse...

Pow Lu chegou num certo que jurava que vc ia se mijarr... rsrsrs, que saco, queria tanto ler isso!! kkkkkk

Luciana Guimarães disse...

Eis porque queria ser homem! Se o fosse, poderia até ter usado uma garrafinha de água que deixo no carro... E o pior, é que eu estava no centro da cidade, não tinha como dar a "paradinha"...

Clau disse...

uhaHUAhuhuhUAHUA... Muito bom...
Então, quanto ao post novo, está lá... pequeno, mas com um sonzinho saindo do forno junto..
Beijo grande...
Saudades.

Hermilaine disse...

Olá,tava passando no blog de uma amiga e vi oseu.Vim visitar.Gostei muito,vou seguir.Ah,eu vivo tendo essas crises(de xixi.Sou igual a criança toda vez que vou sair tenho que ir ao banheiro,se não...
Beijão pra você,tenha um ótimo fds.

Alexsandra Moreira disse...

Meeeeu Deus, que aperto hein? Eu parava num select desses da vida, ou num shopping, banheiro é o que mais tem nesse seu caminho...

Uma vez eu estava na rua indo para academia e me deu vontade de ir ao banheiro, aquela vontade filadap... o desespero foi tão grande que quando cheguei no banheiro estava descontrolada, se eu tentasse tirar a roupa não daria tempo, então sentei com roupa e tudo e já era...

bjs

Nirton Venancio disse...

Luciana, cheguei aqui através do blog do Navarro. Fuço muito a internet atrás de bons textos - e encontrei sua página!
Um abraço!

www.olharpanoramico.blogspot.com
www.nirtonvenancio.blogpsot.com

Aninha Leme disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
meu Deus, nunca li um texto tão verdadeiro a respeito desses momentos de desespero "urinário" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
morri!

beijos

Isadhora disse...

Hahahahahahahahhahaha
estava aqui sentindo esse aperto tb...

"orgasmo de uréia"... adorei!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Desabafando disse...

ahahahaha....adorei o texto....confesso que já passei por situações muito parecidas, tanto eu dirigindo sozinha quanto com minha mãe como motorista! é horrível!
Vou te seguir!
desabafandoesonhando.blogspot.com

Isadhora disse...

Oiii
já te ofereci alguns selinhos e nao vi aqui no blog...
vc nao gosta??

bom... tem mais um lá pra vc!!!