sexta-feira, 29 de maio de 2009

O MELHOR DIA AZARADO DA MINHA VIDA

Percebo o auge do meu mau humor quando começo a rir da minha desgraça. Os mais velhos dizem que esse é um ato de sabedoria. Estou começando a acreditar. Sabe aquele dia em que você podia passar sem? O meu teria sido hoje não fosse meu sarcasmo.

Primeiro ato: acordei atrasada porque não sabia onde tinha deixado o celular no dia anterior (meu fone é meu despertador). Mesmo quando ouvi a hora no rádio, sorri e me desejei um bom dia. “Mais tarde eu tento ligar no meu número para ver se alguma alma caridosa me devolve aquele aparelho de quinta”, confortei-me. Quando abri a porta para sair de casa, cadê minha chave? Bobagem... Minha cunhada levou junto com a dela... Que mal há em bater na porta do vizinho, às 8 da manhã, para ele abrir o portão do prédio? Sorria. O dia está apenas começando.

No trabalho, liguei umas cem mil vezes para o bar que tinha ido na noite anterior até uma voz do outro lado atender. A alma que encontrou meu celular “encosto de porta” não era caridosa. Não houve registro no livro de achados e perdidos. Eu nem gostava daquele modelo mesmo e os contatos eu devo conseguir recuperar nos próximos anos. No stress. Final do dia, a caminho de casa, convenci uma amiga a ir ver um filme no cinema. Quando vi um espaço vazio no estacionamento fiquei até com medo de ser uma área com goteira ou risco de desabamento. Sei lá... Implicância minha, né? O dia tinha tudo para terminar bem.

No guichê, pedi a próxima sessão do filme “Killshot” – tinha certeza que ver a cara esticada de Mickey Rourke ia me fazer sentir melhor ao olhar o espelho. A atendente prontamente destacou e me entregou os ingressos. Despretensiosamente, olhei o ticket para conferir a sessão. Faltavam 20 min. para... “Donkey xote”?????. Sorri um sorriso amarelo (me f...!), voltei e expliquei que ela tinha entendido o nome do filme errado. A coitada me olhou com cara de raiva, pois tinha que esperar o gerente descer para digitar uma senha etc. Resolvi ir lanchar para não perder o horário do filme. Qual o lanche mais rápido? Mc Donald’s!!!

Posso não ter tido sorte ao longo do dia, brinque com tudo, xingue minha mãe, mas não “bula” com minha comida não, na moral!!!! Estava em uma fila que deu problema no pedido da pessoa da frente. Passei para o caixa ao lado e o que aconteceu? Não precisa falar. Quando, enfim, fui atendida, fiz meu pedido: “Promoção do Big Mac, com kuat zero SEM GELO”. O que vem para mim? Coca-cola normal COM GELO! Refiz o pedido. A batata frita veio pela metade. Pedi outra. Quando o refrigerante chegou estava COM GELO. Implorei o certo DE NOVO e, entre mortos de feridos, chegou tudo ok.

Comi soltando fogo pelas ventas!!! Comi não, engoli. Já era a hora do filme e eu ainda tinha que ir buscar o ingresso no caixa. O gerente chegou, não viu a cliente (eu) e não liberou a troca do ticket. Ainda bem que minha amiga explodiu antes de mim. Se eu começasse a falar alto nessa altura do campeonato... O pior é que sempre fico com uma sensação de culpa depois, mas, dessa vez, me contive. Fiquei orgulhosa de mim.

No escurinho do cinema, haja trailer. Dublado de “O Exterminador do futuro” (odeio filme dublado, pior ainda trailer), “A mulher invisível”, “Duplicity'”, “Minhas adoráveis ex-namoradas”, e mais uns 2 ou 3. Quando o filme começou vi uma imagem que parecia familiar... Era “Wolverine”. “Será que entrei na sala errada?”, imaginei. Todo mundo pensou igual a mim e fomos, simultaneamente, reclamar. Estávamos na sala certa e o problema foi na projeção. Pensa que pude analisar logo as cirurgias de Mickey Rourke? Nada... Fui obrigada a ver todos os trailers de novo antes do longa interminável começar.

Apesar de o dia não ter sido dos melhores, joguei o jogo do contente, contei até 10, ri de meu momento infeliz, dei 3 pulinhos e fiz tudo para não deixar a paciência sair correndo. Resisti. Acho que venci minha TPM. Ou será que me rendi a ela? Enfim... A caminho de casa, tive todo cuidado no trânsito, afinal, rir da própria desgraça poderia começar a perder a graça. Nesta noite de sexta-feira, com chuva intensa - em que irei trabalhar no sábado bem cedo - com medo do teto desabar, me pergunto o que mais pode acontecer. Antes de descobrir a resposta, achei mais prudente fechar o computador e dormir.

8 comentários:

Isadhora disse...

Ahhhh nao...
nao é possivel!!!!!!!
tudo isso num dia só?
Nao creio!!!!

Nossa... meu coracao ficou acelerado só de ler tudo o que te aconteceu!!
Nao me seguro! kkkkk

Aêêê!!! aprendeu a usar o ENTER!
kkkkkkkkkkk

Luciana Guimarães disse...

Hahahahaha... Esse dia foi hoje... Quando dormir, vou ter pesadelo... Depois eu conto... Pois é... O enter... Vcs sabem melhor que eu... rsrsrsrsrs

Ana disse...

vixe, eu já teria explodido na primeira com a história da chave. Vc mandou muito bem, rs
Espero que tudo que tinha que dar errado, ja deu, agora só coisa boa!
beijos

Mona disse...

Eee Jornalista, demorou de ter um blog hein? Bjs

Dri Viaro disse...

Tô passando pra conhecer seu blog, e desejar otima semana
bjs

aguardo sua visita :)

Isadhora disse...

Oiii
Dá uma passadinha lá no blog!!
Tem vários posts novos!!!
E não esquece de votar logo abaixo do post!

Beijinhos

Alexsandra Moreira disse...

uauahauhauah, não esquece da lei de murphy... e do jeito que tu é stressada qq coisa já é motivo para explosão... vai numa sessão decarrego... rsrsrsrsrsr

bj

Clau disse...

Aêeee.. Parabens...
Mas, tá difícil imaginar vc contando até 10, dando 3 pulinhos...

Acho que precisamos sair de novo...
Bjoca.