domingo, 2 de agosto de 2009

COMUNICAÇÃO EFICAZ

Depois daquele sábado em que não consegui dormir direito [vide post anterior] minha insônia deu-me trégua e quando deito apago, morro. Os professores do mestrado não me aceitaram [como?]. Enlouqueci, fiquei puta da vida, surtei, tô doida, tô doida, tô doida! Até mandei o endereço deles para alguns grupos extremistas, daqueles homens barbudos vestidos com toneladas de explosivos e sedentos por justiça [hehehehehe]. Que vá aos ares, em pedacinhos, essa racinha que se sente intelectual, o extrato da nata do que existe de mais tradicional, que se julga no direito de ditar as normas do que é ser inteligente. Na verdade, são quase nazistas.

Bem... Ódio à parte, assim que não li meu nome na listinha dos escolhidos para serem inteligentes [tenho jeito?], corri e me matriculei num curso de inglês. Se não voltar a estudar, now, vou pirar de verdade. Inglês, dança árabe, trabalho, família e amigos. Acho que dá para o cabeção parar de se sentir inútil. Já aprendi tanta coisa nessa primeira semana de aula! Esquiuse-me, plis! Não expliquei que na época indicada para aprender outro idioma só tinha grana para o inglês ou faculdade. Sorry a vontade, prioridade é prioridade. Agora posso me dar ao luxo de aprender essa língua super sexy. Sim. Acho a pronuncia do inglês megasexy.

Êi, bí, cí, dí, í, éf, djí, êitch ái, djêi, kêi, él, êm, ên, ôu, pí, quíu, ar, éss, ti, iú, vi, dâbliu, écs, uái, zí. Embora soubesse o alfabeto in english, não lembrava mais a pronúncia, nem a musiquinha que meu irmão odeia de tanto me ouvir cantar ao banho [tadinho, ele já está cantarolando por osmose]. Voltemos à parte sexy. O que me chamou mais atenção foi a pronúncia do él, êm, ên.

O nosso “éle” vira a letra mais sensual de falar. Comece articular igual ao português e termine sem o último “e”, com a pontinha da língua tocando o céu da boca. Experimente, pode te trazer boas recordações... O “eme" é difícil explicar. Mas é mais ou menos assim: you abre a boca como se fosse falar o “eme”, mas pára no “em” e toca suavemente os lábios, como se fosse pegar algo com a boca. Na aula, fiquei vermelha ao fazer tal analogia. O “ene” é bem semelhante, mas a ponta da língua termina a pronúncia entre os dentes. Eu achei super séquisse [olha eu anta em ação!].

Em português, sempre achei o “x” a letra mais sensual de articular. “XIS” para a foto! Biquinho e sorriso na sequência. Pra quê mais? No bendito inglês, ele perdeu a graça. Vira um “équis”. O nosso “dê” exige que seja pronunciado como o nordestino do interior fala. É “dí” com a ponta da língua e pronto. Se falar “de”, eles podem entender o “djí”, que já é o nosso “gê". Aff!!! Me sinto uma equina [tá explicado por que não me aceitaram no mestrado, síndrome de jumenta] sendo alfabetizada de novo. E literalmente é. Tenho que aprender outro idioma do ziro.

Sei que cada lugar do mundo tem um sotaque e jeito diferente de pronúncia [não precisa você me lembrar isso, oquêi?], mas tenho que fazer o que professora manda, no? Ou então nem na prova oral vou passar, daí fico crazy de verdade.

Achei muito curiosa a pronúncia do “th”. Vira algo semelhante a um “efe” com a língua [olha a bendita língua erótica entrando em ação!]. Meu medo é de cuspir todo mundo falando “athletic”. Inclusive, acho o francês mais sensual ainda, com todos aqueles biquinhos de me beije, me bitoque, me rebeije. Tem gente que não acha, mas amo assistir Le Fabuleux Destin d'Amélie Poulain e ouvir Carla Bruni só para ver as boquinhas. Quem duvida pode conferir.




Não vou tentar o espanhol, pois já estudei um tempo e me viro bem. O italiano é bom, mas poder dizer vaffanculo já me basta. Prefiro dedicar meus desejos ao alemão ou russo e cuspir o mundo, pois ô povinho de fala difícil!!! Não era mais fácil todo mundo falar uma língua só? Se bem que, em aspectos humanóides, uma língua não precisa de pronúncias para se fazer entendida...



8 comentários:

Desabafando disse...

ahahaha...adorei seu post...falei sobre idiomas no meu último post, passa lá pra ver! Espero que aprenda bastante nesse curso de inglês! E mesmo não sabendo italiano entendi o que vc quis dizer...rsrsrsrsrs....

Isadhora disse...

kkkkkkkkkkk...
obrigada pela aula de ingles..
ja aprendi varias coisas aqui com vc... rss

eu fiz ingles e espanhol...
ano passado fiz o TOEFL... tirei notao!!! uhuuu

mas meu sonho de consumo é falar italiano...
ai aiiii....

A.S. disse...

Luciana,

Falar com os olhos, fala-se muito mais depressa!!! e todos entendem!

:)

Beijos...

Dri Viaro disse...

Passando rap-10 pra desejar uma semana abençoada
bjsss

Ana disse...

ah meu, eu adoro inglÊs também, adoro italiano, fiz dois anos e adoro virar e dizer pra quem eu não gosto muito. ne me frego un cazzo (to me lixando) hahahaha
Alemão eu também adoraria saber e francês tb tem um puuuta charme né?
Bem, se todo mundo falasse a mesma lingua vc não ia poder viajar e xingar ninguem em portugues, rs
Beijos,

Dri Viaro disse...

tb gosto de ingles, penso em fazer letras, mas ainda to so no pensamento rsrs
bjsss

Tiago disse...

De todas as línguas, o francês é o "top do sexy"...há um tempo conheci um grupo de francesas, ficava bobo só de escutar elles parlent...não entendia nada, mas ficava boquiaberto...rsrs

Good study!!!!!!!

Kisses!!

Aninha Leme disse...

gente
me sinto uma sujeita assexuada!
naõ vejo nada de sexy nas línguas estrangeiras rsssssssssss
agora, coloca um carioca do meu lado!!! ai meu deus que diliciaaaaaaaaaa

beijos